listas quadrinhos

6 artistas que descobri na Artist’s Alley da CCXP Tour

Uma das melhores coisas de participar de um evento como a Comic Con Experience é ter a oportunidade de conhecer gente talentosa na Artist’s Alley. Historicamente uma das seções mais movimentadas, é um espaço para que quadrinistas independentes apresentem seus trabalhos e também para aqueles que atuam nas grandes editoras possam interagir com seu público e vender prints, sketchbooks, artes originais e outros materiais.

O Beco dos Artistas na CCXP Tour de Recife trouxe 185 nomes e destes eu selecionei alguns que me encantaram e contribuíram para um sutil desfalque na minha conta bancária.

Oi, Aure

(Foto: @oiaure)

Aureliano Medeiros é um quadrinista de 26 anos que me ganhou pela simpatia, honestidade e, vamos ser sinceros, pelo sotaque também. Mora em Natal e produz quadrinhos autobiográficos, autodepreciativos e quase diários para a página Oi, Aure (Facebook e Instagram) desde abril de 2015. Publicou os fanzines diário desenhado (1 e 2) em 2014, o romance ilustrado Madame Xanadu em 2015 – descrito por ele mesmo como sobre uma “drag queen depressiva com tendências suicidas” e cujos capítulos se baseiam em cartas de tarô – e em 2016 os zines Sobrepeso e Elevador.

Ilustralu

(Foto: @ilustralu)

Dividindo a mesa com Aure estava outro exemplo de alegria diretamente do Rio Grande do Norte. A ilustradora e quadrinista Luiza de Souza, a Ilustralu do Facebook e do Instagram tem 24 anos, cursou Comunicação Social na UFRN e largou a vida de agência pra trabalhar com ilustração desde o início de 2014. Publicou a HQ Contos Rabiscados para Corações Maltrapilhos no mesmo ano, o zine Marcela Mulher Melhore em 2015 e começou a web-comic Os Cool Kids em 2016. Na CCXP Tour lançou os zines “O Inventário Amoroso de Marcela” e “Shipp”.

Dharilya

Mesa de Dharilya na CCXP Tour Nordeste (Foto: Luiza Carolina Figueiredo)

Quadrinista e ilustradora cearense, Dharilya (Facebook e Instagram) desenha desde criança e sempre gostou de explorar fantasia e terror de uma forma doce e delicada em seus trabalhos. Em 2014 publicou seu primeiro quadrinho, “Entre Monstros e Deuses” pela editora JBC na antologia “HENSHIN! mangá”. Em 2015 publicou de forma independente “A Lojinha Mágica de Medos” da coleção “Relicário HQ“, indicado ao Troféu HQMix em 2016. Atualmente ela trabalha em seu projeto pessoal, “Candy Machine” e acredita que 2017 promete bastante novidades.

Gustavo Borges

(Foto: @gustavoborgesart)

O quadrinista gaúcho é um prodígio. Aos 21 anos, já publicou quatro álbuns independentes: A Entediante Vida de Morte Crens, A Entediante Família de Morte Crens, Edgar (ganhador do HQ Mix na categoria “Melhor Álbum Independente de Autor”) ao lado de Giovane Mello e Pétalas (pelo Catarse, que depois veio a ser publicado pela Tambor Quadrinhos e Marsupial) junto de Cris Peter. Pétalas e A Entediante Vida de Morte Crens serão publicados em Portugal pelas editoras Kingpin e Bicho Carpinteiro. Também participou de vários livros coletivos como 321 Fast Comics, Tudo já foi dito, A Samurai e Memórias do Mauricio (Panini/Mauricio de Sousa produções). Gustavo trabalha com quadrinhos e ilustração há três anos, e não tem dúvidas que nasceu para contar e desenhar histórias. Vejam o trabalho dele no Instagram.

Júlia Pinto

Arte da Hermione que vendeu meu coração para a Júlia Pinto (Foto: Luiza Carolina Figueiredo)

Ilustradora e quadrinista, Júlia é uma alagoana morando em terras alencarinas, formada em Artes Visuais pela Universidade de Fortaleza. Começou a trabalhar com quadrinhos em 2010, desde então faz trabalhos de arte-final (Dark Horse, Dynamite Entertaiment, Avatar Press) e ilustração (Marvel Comics, DC Comics, Valliant Entertainment). Conheça o trabalho dela no site e no Instagram.

Anna Charlie

Anna Charlie é fruto do trabalho da Anna Maeda como ilustradora. A artista gosta de contar pequenas histórias e sentimentos por linhas e cores. Seus temas favoritos envolvem garotas, flores, animais e um toque de poesia. Anna aplica suas criações em diversas superfícies, como canecas, pratos decorativos, e no bom e velho papel. Conheça o trabalho dela no Facebook e no Instagram.

4 thoughts on “6 artistas que descobri na Artist’s Alley da CCXP Tour”

  1. ah adorei esse post, eu adoro conhecer artistas novos, eh uma inveja branca de seus desenhos, sao todos lindos!!

    perolasdelivros.blogspot.com

  2. Eu adoro conhecer novos talentos como esses! Arte e ilustrações da cultura pop conseguem facilmente ganhar o meu coração haha
    Adorei o estilo da Dharilya, o trabalho dela parece ser uma mistura harmoniosa do macabro e do fofo!
    <3
    Beijos!
    Colorindo Nuvens

  3. Na ultima Bienal descobri como é legal incentivar e apoiar artistas independentes, desde então, Fest Comix, CCXP, Festival Guia, sempre compro algo de algum ou alguns. São super legais e merecem espaço. Não conhecia nenhum desdes, mas achei os trabalhos maravilhosos!

    Bites!

    1. Descobri isso na minha primeira CCXP e desde então também não parei! O melhor de tudo é ter a oportunidade de conversar com o artista e conhecer a obra sem mediações: a pessoa tá ali doida pra te convencer a ler a história dela. E tem tanta gente diferente! Voltei pra casa com uns 5kg de pessoas que nunca tinha ouvido falar hahaha

Deixe uma resposta