listas livros

Desafios literários para 2017

Feliz Ano Novo! Agora que deixamos 2016 para trás, é hora de pensar no que 2017 tem reservado para nós. Ano passado eu propus a mim mesma três desafios, como vocês podem ver aqui. Este ano, vou permanecer no número três, mas o conceito de desafio está bem maior! Vamos descobrir quais são?

1 – Ler mais clássicos

O que faz de um livro um clássico? A definição sempre levanta um pouco de polêmica, arrogância e elitismo, mas não há como negar que algumas obras e seus autores transpuseram suas épocas e alcançaram a imortalidade por sua repercussão através de gerações. Esse tipo específico de literatura sempre me assustou. Primeiro porque são livros antigos, alguns até mesmo centenários, com linguagem rebuscada, ritmo desacelerado e tramas que demoram a se desenvolver, o que me leva, basicamente, a ter muito sono e desistir. Em segundo lugar, o medo da decepção me repele: e se eu conseguir lutar contra tudo que me afasta das grandes obras, chegar ávida pela leitura e no fim das contas ser tudo um grande hype acadêmico?

Por isso escolhi com grande cuidado doze títulos, um para cada mês, de forma a conseguir balancear a leitura dos clássicos com meus outros projetos, sem abandonar esse grande desafio.

Janeiro: “Anna Karenina”, Leon Tolstói

Fevereiro: “Lolita”, Vladimir Nabokov

Março: “Jane Eyre”, Charlotte Brontë

Abril: “Grandes Esperanças”, Charles Dickens

Maio: “O Conde de Montecristo”, Alexandre Dumas

Junho: “O Retrato de Dorian Gray”, Oscar Wilde

Julho: “Orlando”, Virginia Woolf

Agosto: “Moby Dick”, Herman Melville

Setembro: “Frankenstein”, Mary Shelley

Outubro: “As Aventuras de Tom Sawyer”, Mark Twain

Novembro: “As Vinhas da  Ira”, John Steinbeck

Dezembro: “O Corcunda de Notre-Dame”, Victor Hugo

2 – Concluir as séries iniciadas

E olha que nem todos estão aí…

Tenho um péssimo hábito de desistir no meio do caminho e não terminar o que comecei. Quero mudar isso em 2017, começando pelas minhas leituras! Esses são os meus assuntos inacabados:

“Desventuras em Série”, Lemony Snicket: li até o sétimo livro na minha adolescência (!!). A ideia é ler em média dois livros por mês, já que são 13 no total, e começar tudo de novo, já que lembro de bem pouca coisa. (+13)

“O Guia do Mochileiro das Galáxias”, Douglas Adams: outra que comecei na adolescência e nunca terminei, apesar de ter todos os cinco livros aqui. Li até o terceiro e parei, então vou recomeçar porque lembro de somente alguns pontos. (+5)

“A Torre Negra”, Stephen King: outra série que comprei no impulso e ficou literalmente anos na prateleira! Tentei ler O Pistoleiro várias vezes e não me cativava, mas 2016 foi um ano bem King pra mim e consegui terminar pelo menos o primeiro. O próprio autor diz que essa é sua obra-prima; eu tenho que, no mínimo, dar uma chance, não é verdade? (+6)

“Filhos do Éden”, Eduardo Spohr: li o primeiro, comecei o segundo durante uma viagem, mas não foi o momento certo e acabei abandonando. Mas gosto muito da trama e do estilo do Spohr, é meu autor nacional favorito no gênero fantasia. (+2)

“Silo”, Hugh Howey: adorei o primeiro, mas não tinha dado continuidade porque o segundo ainda estava bem caro e o terceiro ainda não tinha sido lançado no Brasil. Mas já comprei a continuação numa promoção maravilhosa da Amazon e o último já está nas livrarias. (+2)

“Trilogia Thrawn”, Timothy Zahn: é aqui que o Universo Expandido de Star Wars realmente começou a ganhar força. A Trilogia Thrawn é um divisor de águas que impulsionou um mercado hoje dividido no que é cânone e no que é lenda; em resumo, tem que ler! (+2)

“As Crônicas de Artur”, Bernard Cornwell: só parei porque precisava terminar de ler O Senhor dos Anéis antes do fim de 2016, senão era capaz de já ter finalizado a trilogia no ano que passou. (+2)

“A Saga do Assassino”, Robin Hobb: comprei o primeiro só pra ver ~qual era~ e adorei! (+2)

“O Protetorado da Sombrinha”, Gail Carriger: li o primeiro para uma discussão no Vórtice Fantástico e me diverti horrores. Vai ser uma ótima pedida para intercalar com as leituras mais tensas. (+3).

3 – Sair do romance: ler mais reportagens e contos

Tenho um nicho na estante exclusivo para jornalismo literário, um gênero de grandes reportagens escritas com as ferramentas da literatura. Apesar disso, li apenas cinco livros-reportagem em 2016. Contos integram um gênero que eu consigo contar nos dedos quantos livros tenho, de tão pouco que costumo ler, o que é bizarro porque tecnicamente eles devem ser mais fáceis do que um romance. Vamos mudar isso em 2017 com pelo menos um livro-reportagem ou coletânea por mês.

E vocês, quais são os desafios literários para o ano que chegou?

20 thoughts on “Desafios literários para 2017”

  1. Clássicos e jornalismo literário = ♥ Se quiser dicas, pode me chamar! Sou uma leitora aficionada em ambos os gêneros :3

    Bah, adorei a tua lista de clássicos a serem lidos! O Retrato de Dorian Gray é um dos meus livros preferidos da vida. Espero que cê goste.

    ;*

    1. Ai, quero demais! <3 No jornalismo literário eu tô indo pelos grandes nomes, sabe? Tô com "Honra Teu Pai" do Gay Talese, "Dez Dias que Mudaram o Mundo" do John Reed e "Fear and Loathing in Las Vegas" do Hunter Thompson. Além deles tô com "O que os chineses não comem" da Xinran, "Na Pior em Paris e Londres" do George Orwell e dois da Svetlana, fora alguns brasileiros menos famosos também.

      Demorei horrores pra escolher os clássicos, sabe? Queria me desafiar, mas não a ponto de me sabotar, então tem clássicos mais leves, outros são calhamaços... vamo ver no que vai dar! ;*

  2. Adorei tua lista de clássicos… Tem vários livros que estão também em minha lista…
    Se vc curte sagas, recomendo a saga de Outlander… Romances, ficção científica misturada com História… Amei ela!
    Bjs e um feliz 2017

    Inajara by Vintage & Geek

    1. Eu tô bem orgulhosa dessa lista! hahaha Porque acho que é uma lista possível pra quem tem hábito de leitura, mas ainda tem medo dos clássicos (ou seja, euzinha). Tem histórias e autores muito diferentes, então dá pra dar uma balanceada.
      Eu sou MUITO curiosa por Outlander, inclusive coloquei a série na minha lista da Netflix! Só que são muitos livros e livros grandes pra uma pessoa que já tá abarrotada de continuações pra ler 🙁 Mas se esse desafio fluir, já dá pra entrar em 2018!
      Feliz 2017! ;*

    1. Mas eu falei romances no sentido do formato e não do gênero romance romântico, viu? Se você conhecer clássicos em contos, aceito a recomendação!
      Eba, vem comigo! Vou tentar atualizar mês a mês o andamento das coisas.

  3. Me ensina a terminar as séries que começo também,tenho esse problema kkkkk.Também quero ler Desventuras em Série esse ano,parei no 8.E sobre o King,quero ler alguns livros dele também.

    1. Vamo fazer um grupo de apoio, vamo? hahaha esse ano vai ser quase uma rehab pra terminar os assuntos inacabados! Do King eu tô me confiando no Vórtice pra me fazer ler mais uns quatro esse ano. Novembro de 63 fica só me encarando querendo furar a fila das leituras…

  4. Vou guardar seu post, pois quero ler clássicos também! Eu era uma pessoa que não gostava de ler e tudo mudou depois que comprei meu kindle, sério, eu li mais de 10 livros em 3 meses hjaiowuhe esta menina está descontrolada e quer retomar o tempo perdido!

    Também estou num projeto de terminar as sagas, estou lendo o último dos corvos, da Maggie Stiefvater, se você não leu, já te recomendo! E o Game of Thrones, né, que eu estou no segundo e me arrastando, porque é muito longo 🙁 HUASOIUHE Preciso terminar o Guia também e quero começar Desventuras!

    1. Sempre achei que quem diz que não gosta de ler simplesmente não achou o livro certo ainda. Que bom que você encontrou o seu! Bem-vinda à Caverna do Dragão literária! hahaha Nunca ouvi falar dessa série, mas pelo nome parece ser de fantasia (ou seja, QUERO). Já li As Crônicas de Gelo e Fogo, mas se eu fosse você não teria pressa: o Martin ainda está tão longe de terminar o sexto livro que você vai se sentir órfã quando terminar A Dança dos Dragões. Você leu até qual do Mochileiro? Desventuras é muito bom, bem rapidinho de ler e super divertido, apesar de só acontecer tragédia! hahaha

    1. hahaha né isso? Eu trabalho em outra cidade, levo duas horas em média só pra me deslocar. Então ida e volta são quatro horas que não tenho nada pra fazer a não ser ler ou dormir! Com faculdade é realmente mais complicado, li bem pouco coisas não-acadêmicas durante a graduação.

  5. Melhor desafio <3 e caramba quantos livros!!! Também preciso terminar de ler o guia, comecei faz tempo, mas depois desanimei…esse ano pretendo voltar a universo literário com tudo, vou até favoritar o post.

    Ah!!! também morro de vontade de ler Moby Dick, quem sabe agora vai. Feliz ano novo e sucesso

    1. Moça, mil desculpas pra responder seu comentário! Ele foi pro spam e só vi agora 🙁 Esse ano eu fui bem ousada nas metas e desafios literários. Por enquanto os desafios 1 e 3 estão dando certo, mas finalizar as séries iniciadas tá difícil…

  6. Adoro desafios literários! Não sou muito disciplinada, então é sempre bom recorrer a esse tipo de metas para não me perder nas leituras, hahahaha. Ainda mais trabalhando 8h por dia, preciso gerir certinho o meu tempo.
    Os seus desafios ficaram ótimos, servem bastante para o que preciso estipular na minha vida. Os do ano passado também!
    Como tirei janeiro para planejamento, vou pensar em algum desafio também, que envolvam todos os livros não lidos que estão aguardando na minha estante.
    Boa sorte com suas metas!
    Beijos!

    1. Estabelecer metas e uma rotina de leitura, inclusive com organização de leituras, é uma boa estratégia pra quem não tem disciplina. Acho que o importante é adaptar a cada realidade, sabe? Se você trabalha 8h por dia, é injusto consigo mesma querer ler o mesmo que eu, que trabalho 5h, a não ser que você crie uma estrutura que permita isso. Janeiro é um mês cheio de possibilidades: abra-se a elas! Quero ver no Máquina de Escrever suas metas pra 2017 depois! 😉 Beijo!

  7. Oi, Andressa!
    Eu com certeza sou uma pessoa que não lê clássicos. Pelo mesmo motivo que o seu! Quero mudar isso lendo alguns mais contemporâneos, por assim dizer, como O Senhor dos Anéis.
    Sobre séries inacabadas, nem preciso falar, né? São montes e montes na minha estante. Preciso parar com isso. Se for contar os que li antes, então, fica uma fileira interminável.
    Agora sobre os livros com tons mais jornalísticos, eu até leio. Conhece a coleção da DarkSide que trata sobre assassinos em série? Também tem os livros da Ilana Casoy da editora. Se você se interessa pelo tema, recomendo MUITO!

    Beijos,
    Celly.

    1. Eu li O Senhor dos Anéis no ano passado e, pelo menos pra mim, não foi uma leitura fácil. Até comentei em um post chamado “Tolkien e eu” semana passada, mas as experiências com a Terra-Média são muito particulares a cada um: tem gente que devora e acha maravilhoso, outros como eu sentem muito mais dificuldade. Só posso te desejar fazer parte do primeiro grupo! Senão, boa sorte hahahah Então, é meio creepy dizer isso, mas acho serial killers e psicopatas muito interessantes. Eu não sabia que esses livros da Ilana não eram ficção, senão já teria colocado no carrinho há muito tempo! Valeu pela dica! beijo :*

Deixe uma resposta