listas livros opinião quadrinhos

Troféu Literário 2016: Os queridinhos

Continuando com o Troféu Literário 2016, hoje vamos enumerar os personagens mais amados (ou não) do ano!

O meu personagem queridinho: Cormoran Strike (“O Bicho da Seda” e “Vocação para o Mal – Robert Galbraith)

Cormoran Strike é o protagonista da série de livros policiais que J. K. Rowling escreve sob seu pseudônimo de Robert Galbraith. Veterano de guerra, falido, manco, rabugento, irônico, engraçado, leal: Cormoran é um Sherlock Holmes menos socialmente inapto, mas ainda peculiar. Fiquei muito feliz e cheia de expectativas com a notícia de que os livros seriam adaptados para uma série da BBC, com Tom Burke de The Musketeers escalado para interpretar Strike.

O personagem que me deu nos nervos: Laila (“Turismo para Cegos” – Tércia Montenegro)

Que mulher detestável, desprezível e manipuladora. Li esse livro por indicação de uma amiga, porque desde que trabalhei com deficientes visuais para o meu TCC passei a me interessar muito por obras que envolvam a cegueira. Fiquei me sentindo mal por desgostar com tanta intensidade da cega que protagoniza a história e depois fiquei me questionando o porquê. Aí está o grande ~pulo do gato~ de Turismo para Cegos: mostrar a humanidade, em suas qualidades e em seus defeitos, que vive em todo deficiente e que muitas vezes se ignora graças a esse envoltório de pena e comiseração com que muitas vezes são revestidos não por eles mesmos, mas pelos outros.

O meu casal queridinho: Paulo Crumbim e Cristina Eiko (“Quadrinhos A2” – Paulo Crumbim e Cristina Eiko)

Quadrinhos A2 é uma HQ seriada e autobiográfica dos artistas Paulo Crumbim e Cristina Eiko. É impossível não se apaixonar pelos dois e por essa realidade tão palpável em que vivem. É tudo muito natural, de um jeito que nos pega de surpresa por conseguir retratar a banalidade cotidiana de uma vida em casal com leveza, bom humor e toques de fantasia ou ficção científica. Bônus especialíssimo para a fofura de Pino, o cachorrinho do casal, que rouba a cena em cada momento que aparece.

O casal que me fez querer vomitar: Laila e Pierre (“Turismo para Cegos” – Tércia Montenegro)

Na mesma proporção em que Laila irrita pela teimosia, insensibilidade e egoísmo, Pierre o faz por ser, em essência, a definição da mosca morta. Apático, insosso, inseguro… foi a vítima perfeita para ser feito de capacho por sua companheira. Os dois personagens são maravilhosamente construídos pela poética narrativa de Tércia Montenegro para criar no leitor todTra sorte de sentimentos repulsivos pelos protagonistas.

O personagem coadjuvante que roubou a cena: Lorde Akeldama (“Alma?” – Gail Carriger)

O vampiro mais extravagante e hilário que você vai encontrar por aí. Rendeu ótimas gargalhadas em um livro que já estava me fazendo rir bastante; uma ótica dica para desopilar de livros densos ou pesados.

O personagem coadjuvante que eu mataria: Tom Bombadil (A Sociedade do Anel – J. R. R. Tolkien)

Oficialmente o personagem mais chato da Terra-Média e de todas as outras Terras possíveis de serem criadas. Que capítulo desnecessário, que personagem dispensável, que grande vitória ter conseguido terminar de ler as páginas com ele!

 

[x] Confira também os posts especiais do Troféu Literário 2015. Já o post com os melhores e piores de 2016 você encontra aqui.

2 thoughts on “Troféu Literário 2016: Os queridinhos”

    1. Ele é sensacional! <3 A Robin também é maravilhosa e eles formam uma dupla incrível. J.K. já está escrevendo o quarto livro da série e eu tô aqui super ansiosa!

Deixe uma resposta